25.3.19

Resenha #143 - O Poder de Uma Vida de Oração - Paul Miller - Edições Vida Nova

Para quê devemos orar? A oração faz alguma diferença na nossa vida? 

Você provavelmente já se fez essas perguntas em algum momento da sua vida. E se as respostas para elas continuam sendo obscura, então esse livro foi escrito exclusivamente para você.

Então, vamos conferir? ;)


Título: O Poder de uma Vida de Oração
Autor: Paul Miller
Editora: Vida
Gênero: Vida Cristã / Oração
Páginas: 288
SkoobClique aqui 
Compre: Site Amazon

4 Estrelas

Sinopse

“A oração não nos prepara para as grandes obras; ela é a maior de todas as obras”
Charles Spurgeon

Este livro esplêndido nos convida a viver uma vida de oração. As histórias comoventes que Paul Miller compartilha nos trazem de volta a alegria de viver na presença do Senhor. O autor ensina a nos aproximarmos de Deus em oração como uma criança, com o coração confiante e inocente, em busca da proteção, do consolo e da direção que só encontramos nos braços do Pai. Ele também fornece sugestões práticas de como resgatar a intimidade e o poder da vida de oração.



Paul Miller é diretor da seejesus.net, uma missão que se dedica ao discipulado e desenvolve estudos bíblicos interativos. Ele é autor de vários estudos utilizados pela missão, como The Person of Jesus Study e The PrayerLife Study and Seminar, sendo que este último serviu de base para essa obra.

O livro é muito bem dividido. Cada capítulo aborda um tema ou um problema diferente acerca da questão da oração. Falta de fé, falta de disciplina, preguiça, medo de não ser atendido por Deus etc. Paul se vale constantemente de histórias pessoais para ilustrar temas importantes sobre a necessidade e a eficácia da oração na vida do cristão.

O livro já começa nos dando um belo tapa na face mostrando um dos motivos pelos quais não temos o hábito de orar.

Página 16

"O que vai adiantar orar? O modo leviano como as pessoas se referem à oração muitas vezes intensificam a nossa descrença. Terminamos nosso bate-papo dizendo: "Vou orar por você", "continuarei orando por você", "lembrarei de você em minhas orações". Muitas pessoas que usam essas frases, inclusive nós mesmos, nunca oram. Por quê? Porque achamos que a oração não faz muita diferença."



Página 24

"Aonde queremos chegar Se Deus é soberano, então Ele está no controle de todos os detalhes da minha vida. Se Deus é amoroso, então Ele irá moldar os detalhes da minha vida para o meu benefício. Se Ele é inteiramente sábio, então não fará tudo o que peço, pois não sei direito do que preciso. Quanto juntamos todas essas coisas - a soberania, o amor, a sabedoria e a paciência de Deus - temos uma história acerca de Deus. "



Essa é uma obra exortativa e reflexiva ao mesmo tempo. Enquanto alguns capítulos são focados em nos exortar a praticar a oração como hábito e estilo de vida, outros nos mostram o porquê de não darmos o devido valor à oração. Você provavelmente concorda que gostaria de ter uma vida de oração mais frequente com Deus, porém infelizmente não consegue. Isso se dá muitas vezes por questões de incredulidade. Achamos que a maioria dos acontecimentos que ocorrem em nossas vidas não possuem nenhuma correlação direta com a oração. Ou seja, teria acontecido de uma forma ou de outra, mesmo se nós não tivéssemos orado. Como conciliar esse raciocínio com o que a Bíblia ensina sobre a oração? Leia esse pequeno relato:
Página 140

"Na época em que a taxa de mortalidade infantil era alta, as mães oravam desesperadamente para que seus filhos não morressem na infância. James Houston diz que a medicina moderna deu fim a essas orações no Ocidente. Pode ser. Mas também pode ser que a medicina moderna tenha se evoluído no Ocidente devido às orações das jovens mães daquela época. Você nunca sabe como Deus responde às orações.
Apenas ore."


Outro ponto interessante que Paul Miller comenta é sobre o significado de "Orar em Nome de Jesus". Eu nunca havia parado para refletir no significado dessa expressão. Por que é tão importante orar "Em Nome de Jesus"? Que diferença faz se eu não oro no nome dEle? Paul ilustra isso de maneira excepcional:

Página 142

"O que significa orar em "Nome de Jesus"? Imagine que sua oração seja um mendigo maltrapilho, imundo e mal cheiroso, exalando a álcool, cambaleando a caminho do palácio de um grande rei. De repente, você se transforma em sua oração. À medida em que você cambaleia rumo ao portão fechado, os guardas se aprumam. Seu odor desagradável chega primeiro. De modo confuso, você gagueja uma mensagem a ser entregue ao grande rei: "Eu gostaria de ver o rei". Suas palavras são praticamente ininteligíveis, mas você sussurra uma última frase: "Jesus. Eu venho em nome de Jesus". Ao ouvir o nome de Jesus, como que num passe de mágica, tudo ganha vida. Os guardas passam a olhá-lo com atenção e se curvam diante de você. As luzes são acesas, e as portas escancaradas. Você é conduzido ao interior do palácio, e anda por um longo corredor até chegar ao trono do maravilhoso rei, que corre em sua direção e o abraça com força. O nome de Jesus faz com que suas orações tenham acesso ao rei. Elas chegam ao destinatário. Jesus não é apenas o Salvador da minha alma. É também o salvador das minhas orações. Minhas orações chegam ao trono de Deus como se fossem as orações de Jesus. "


Outros temas também são abordas ao longo do livro tais como orar pelo seu cônjuge, orar pelo seu parente, pelos filhos ou meus amigos. Muitas pessoas enxergam falhas em seus cônjuges mas jamais pararam para orar e pedir a Deus que os mudem ou transformem. Se algo lhe incomoda no seu marido ou na sua esposa há bastante tempo, por que não empreender uma jornada de oração acerca desse assunto? Não teria Deus poder para mudar qualquer tipo de hábito em qualquer pessoa? A resposta é simples: Não cremos verdadeiramente no poder da oração. Por isso lutamos com nossas armas humanas a maior parte do tempo e, geralmente, perdemos a maioria das batalhas.

É isso, galera. Essa foi a resenha do livro "O Poder de Uma Vida de Oração". Mais uma vez, um livro excelente sobre um assunto tão complexo como esse, mas que adota uma abordagem mais "prática" do que teórica como a maioria dos livros que já li sobre o assunto.

Dei 4 estrelas para ela devido ao fato do Paul se referir constantemente à sua filha, Kim, na maior parte do livro. Não me incomodo com referências pessoais como forma de ilustrar conceitos bíblicos, mas usar a mesma pessoa como exemplo durante todos os 32 capítulos do livro ficou meio repetitivo. Creio que o autor poderia ter usado mais exemplos retirados de outros livros como citações, casos reais e histórias verídicas do que citar constantemente exemplos da filha dele. Isso o fez perder uma pequena estrela na notal final. ;)

Já nos segue pelo instagram? Não? Então corre lá no @resenhascristas para conferir nossas fotos e resenhas que postamos diariamente. :)

Acompanhe o Resenhas Cristãs




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Resenhas mais antigas:

Livros que estou lendo no momento. (Resenha em breve)

 renata massa